sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Acidentes são menores em aeroportos com áreas escape

O aeroporto Leite Lopes realizou nesta quinta-feira (1º) uma simulação de acidente;
Oportuno sempre citar que o Projeto do Puxadinho (Redirecionamento da Pista ) do Governo do Estado não prevê áreas de escape, devido às limitações físicas na área onde se situa o aeroporto :  de um lado  o Morro da Vitória (Campus da Universidade Moura Lacerda) e do outro a Rodovia Anhanguera.
Possibilidade de acidentes sempre existe, daí a necessidade destes treinamentos. Mas em aeroportos com áreas de escape,  estes acidentes são sempre menores.

 Por isso , insistimos :

Novo aeroporto sim, mas em nova área e com áreas de escape.

Abaixo cobertura pela imprensa :

Simulação de acidente aeronáutico movimenta Leite Lopes

coordenado pelo Daesp teve duração de 1 hora e reuniu 200 pessoas


Treinamento
EPTV - 01/12/2011 - 09:16
Alterar o tamanho da letra A+A-
Atualizada às 11h54.
Uma simulação de acidente aeronáutico com duração de uma hora movimentou o Aeroporto Leite Lopes, em Ribeirão Preto, na manhã desta quinta-feira (1). O treinamento, que incluiu simulação de combate a incêndio, resgate de vítimas, primeiros socorros e transporte a hospitais da cidade foi coordenado pelo Departamento Aeroviário do Estado de São Paulo (Daesp) e contou com a participação de 200 pessoas.
O simulado atende a regulação aeronáutica estabelecida pela Anac e Comando da Aeronáutica e tem como objetivo treinar os procedimentos de emergência com realização dos primeiros socorros aos passageiros e tripulantes em casos de acidentes, além de avaliar o tempo levado no percurso e atendimento médico.
Simulação
A simulação foi baseada em uma parada brusca de aeronave seguida de incêndio. Durante o treinamento foi usado um avião que comporta 50 passageiros.
Participaram da ação o Grupo de Voluntários de Emergência (CVE) – composto por funcionários do aeroporto -, companhias aéreas, aeroclube, hangares, Polícia Militar (Helicóptero Águia e trânsito), Corpo de Bombeiros do Estado e do Leite Lopes, Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu), Defesa Civil, Guarda Civil Municipal e funcionários das empresas aéreas que operam no local.
Os envolvidos passaram por treinamento e farão parte efetiva do Plano de Emergência do aeroporto.
Verídico
Durante uma simulação, em 26 de novembro de 2004, bombeiros do aeroporto ficaram feridos, após a viatura que estavam capotar no deslocamento para socorrer as vítimas fictícias.
___________________________________________________ 


A Cidade - Quinta, 01 de Dezembro de 2011
Aeroporto Leite Lopes faz simulação de acidente com aeronave
Procedimento envolveu mais de 200 pessoas entre equipes do Corpo de Bombeiros, Samu, o helicóptero Águia da Polícia Militar e voluntários
Mariana Lucera
O aeroporto Leite Lopes realizou nesta quinta-feira (1º) uma simulação de acidente, que envolveu mais de 200 pessoas entre equipes do Corpo de Bombeiros, Samu, o helicóptero Águia da Polícia Militar e voluntários treinados pelo Daesp.
O major do Corpo de bombeiros, Cássio Augusto, diz que a simulação foi positiva pela maneira como foi disciplinado o simulado, que visou que em um caso de emergência com uma aeronave de grande porte todos os envolvidos no resgate falem a mesma língua. "Fizemos divisão das vítimas de acordo com a gravidade e o saldo foi extremamente positivo, quem ganha é a cidade", diz o major.
O diretor de aeropostos do Daesp, Álvaro Cardoso Júnior, diz que todo e qualquer treinamento é positivo para verificar como estão os procedimentos e a estrutura do aeroporto para fazer um atendimento de emergência. "O objetivo é detectar falhas para que elas sejam corrigidas com tranquilidade", diz Júnior. De acordo com ele, ano sim ano não são feitas simulações externas, anualmente são feitos exercícios internos em que a mobilização de recursos da cidade é menor. De acordo com ele, o resultado também foi positivo porque não houve correria nem tumulto.




Sequência de fotos no link abaixo